Crescer e conhecer o Mundo é um processo concretizado em contexto: desenvolvemos papéis sociais (e, com eles, desenvolvemos diferentes competências) e aprendemos quem somos (e o que é esperado de nós), enquanto membros de uma família, estudantes de uma escola, cidadãos e cidadãs de um lugar.
Porém, as oportunidades de participação de cada criança no Mundo – e, por isso, de desenvolvimento das suas potencialidades desenvolvimentais – são, muitas vezes, condicionadas pelo contexto histórico e social que esta habita: pelas representações socialmente construídas, assentes em estereótipos em relação ao género (as ideias que arrumamos em gavetas e que vêm não só descrever como prescrever aquilo que é esperado de um rapaz e de uma rapariga). São, de facto, inúmeras as ocasiões em que, quotidianamente, assistimos a uma atribuição qualitativamente distinta de atividades, brincadeiras, modelos sociais e elogios (os comportamentos que são reforçados) a rapazes e a raparigas.
“As Gavetas do Mundo (um livro para desarrumar ideias)” é, assim, um livro infantil dirigido a crianças do 1º ciclo, útil para iniciar uma conversa sobre Cidadania e Igualdade de Género. Pretendendo ser ponte de diálogo entre os vários contextos de vida da criança, a par do conto infantil, o livro contém um guião de leitura dirigido aos educadores e às educadoras (famílias e escolas), através do qual são sugeridas questões, reflexões e atividades, para expandir e sedimentar os significados construídos ao longo da leitura do livro. O livro é, então, composto por diferentes capítulos – as “investigações” de Isabel Isopia, onde a protagonista da história, acompanhada pelo seu melhor amigo, aprende o Mundo, questionando-o e agindo sobre ele –, permitindo que a leitura seja pausada e faseada, havendo uma abordagem gradual às temáticas.
Pretende-se, assim, retomar a leitura em conjunto: trazer o livro para os espaços de vida da criança, enquanto objeto simbólico, onde a brincar é, na sua essência, perguntar, desarrumar ideias e aprender. Pretende-se criar espaços de ação e diálogo, para que crescer seja um exercício de participação, de respeito pela individualidade e de liberdade.

O livro pode ser encontrado no Porto (na livraria Flâneur, na livraria infantil Salta Folhinhas e na livraria Poetria), em Lisboa (na livraria Tigre de Papel e na livraria BAOBÁ), em Braga (na livraria Centésima Página) e em Viana de Castelo (na loja À Moda Antiga). Para envios via CTT: asgavetasdomundo@gmail.com

Por Ana Luísa Abreu. Psicóloga, co-autora do livro “As Gavetas do Mundo (um livro para desarrumar ideias)”.